Base Nacional Comum Curricular está sendo discutida em Bom Jesus do Norte


Diretores de escolas e pedagogos do município de Bom Jesus do Norte, participaram de reunião na manhã desta terça-feira (29) com a Coordenação Pedagógica do município, para conhecerem as mudanças propostas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O encontro aconteceu no prédio da Universidade Aberta do Brasil (UAB) no centro da cidade e reuniu também o Conselho Municipal de Educação.
A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é o documento que define os conhecimentos essenciais que todos os alunos da Educação Básica têm o direito de aprender. Essa base sofreu alterações importantes a partir de um amplo debate que aconteceu em várias etapas em todos os estados brasileiros com a colaboração de mais 9 mil professores. As mudanças definidas nesse novo documento foram encaminhadas para todos os municípios que terão a tarefa de adequar os seus currículos a nova Base proposta pelo Ministério da Educação.
A função de adequação deverá ser desenvolvida pelas secretarias com a colaboração do Conselho Municipal de Educação. “Hoje nós apresentamos as propostas às pedagogas, diretoras e conselheiros. O próximo passo será a apresentação desses novos conteúdos aos professores”, informou Rogério Cantelle, Secretário Municipal de Educação, que tem até o mês de agosto para a elaboração de um novo currículo, incluindo essas mudanças que deverão ser colocadas em prática  no próximo ano letivo.  
Para Janaina Fortunado Alves Dias, Coordenadora Pedagógica da Secretaria, muitas mudanças importantes aconteceram e algumas dessas propostas já começaram a ser inseridas de maneira antecipada no currículo deste ano. “Nós analisamos com calma todas as mudanças e já começamos inserir algumas dessas propostas esse ano em nossas escolas, para que o professor não se assuste com uma mudança tão radical a partir do ano que vem”, analisa Fortunato.
Analise dos professores:
Os profissionais de educação pontuaram alguns questionamentos. “São passados novos conteúdos, novas ideias e não preparam o professor. Acho que primeiro deve ser passado para o professor, prepara-lo através de cursos, pois se não o professor surta”, opinou a Professora Rita do Carmo, diretora da Escola Municipal Gil Veloso.
“A educação é um grande laboratório e nós temos que buscar informações, pesquisar e nos preparar, pois cada aluno é único, e na Educação Especial as diferenças são ainda mais acentuadas. Essas mudanças certamente vão exigir um empenho à parte de todos os professores”, analisou  Marise Baptista, professora da Sala de Recursos da Escola São Sebastião. 
Adaiane de Souza Paulo, mãe de aluna e membro do Conselho de Educação, disse que já está percebendo as mudanças nos conteúdos que estão sendo aplicado para sua filha que é aluna do 5º ano do Colégio Antonio Honório. “O mundo é outro, estamos vivendo uma nova realidade e essas mudanças incomodam, mas temos que sair da zona de conforto e buscar o que é melhor para nossos filhos”, avalia a Adaiane.    
Quanto á adaptação dos professores aos novos conteúdos, o Secretário Rogério Cantelle afirmou que tudo está sendo feito com muito planejamento e de maneira gradativa. “Os nossos professores não precisam se preocupar, pois será uma transição de conteúdos muito tranquila com todo suporte necessário da nossa equipe pedagógica. Iremos a cada escola e creche e trabalharemos todas as dúvidas com todos os profissionais”, informou.
 







Nenhum comentário

Obrigado por sua visita e comentário;a interatividade nos estimula cada vez mais a trabalhar neste projeto